M1992 apresenta "luxo degenerado" com desfile-balada em Florença

Clima de balada na quinta-feira (11) em Florença, onde Dorian Stefano Tarantini apresentou sua terceira coleção de prêt-à-porter com um desfile realizado no grande armazém da Dogana, transformado para a ocasião em uma danceteria escura, iluminada apenas pelas inscrições em néon projetadas no chão. O estilista e DJ italiano, que por muitas vezes esteve no Pitti Uomo nos bastidores para cuidar da música dos desfiles, desta vez apresentou o desfile de sua marca própria, a M1992.


M1992 redesenha o luxo masculino. - Pitti Immagine ph Giannoni Giovanni

Os cortes são impecáveis, os tecidos preciosos, e há um grande cuidado nos detalhes. Em apenas algumas temporadas, a marca evoluiu com uma oferta mais ampla e refinada, sempre focada na estética dos anos 80 e 90, misturando um estilo artístico high-end com referências musicais e de moda muito precisas, viajando entre a Itália e os Estados Unidos. Na verdade, a marca se chamava Malibu 1992, e se transformou em M1992, com o M podendo se referir tanto à Malibu como Milão.

"Meu estilo é uma espécie de "luxury degeneration" (degeneração do luxo), um produto de alto impacto que brinca com os ícones do luxo, muito em consonância com o que os artistas americanos procuram no momento: eles querem algo novo, importante e rico", explica o estilista que veste, entre outros, o rapper Kendrick Lamar e Rihanna, à FashionNetwork.com. 

“Eu abordo também o adolescente obcecado com o streetwear,  assim como jovens em seus trinta anos em busca de novidades, enquanto permaneço muito conectado ao mundo da música e das celebridades. Um terno feminino, por exemplo, pode parecer uma algo muito louco para um millenial", diz ele. "O underground, a música e o streetwear são minhas principais referências. Mas meu universo é, sobretudo, a moda italiana.”.


Dois looks M1992 da coleção-cápsula de denim feita em parceria com a Meltin'Pot. - Pitti immagine ph Vanni Bassetti

Os detalhes relacionados ao made in Italy não faltam nesta coleção, que é totalmente realizada na península: das camisetas e suéteres com os dizeres "Giorgio" ou "Montenapo Milano" às jaquetas que a juventude dourada milanesa usava na década de 80, passando pelas referências da lendária marca El Charro, com seus emblemas como a águia metálica, a rosa bordada ou ainda os cintos vistosos de cowboy, apresentados em muitos looks.

Outras colaborações com marcas transalpinas, como a com a College o e seus famosos mocassins, e outra com o fabricante de jeans Meltin'Pot, com quem Dorian Stefano Tarantini assinou uma incrível coleção-cápsula de jeans de alta-costura, com looks jeans-camisa-jaqueta, mas também vistosos vestidos de noite, jaquetas em pele de carneiro e jaquetas 100% denim.

Com seus projetos de video-arte lançados em 2014, o DJ expandiu para a moda no início de 2017. "Comecei como uma brincadeira, apresentando desfile com o apoio da Camera della Moda. Mas, então tudo embalou", diz o estilista. Esta marca independente que emprega algumas pessoas já atingiu 10 milhões de euros em volume de negócios.

Posicionada no streetwear de luxo como a Off-White, com camisetas vendidas a 150-200 euros e entre 800 e 2.000 euros para as peças com mangas, a marca é distribuída pela SlamJam e conta com uma dúzia de clientes multimarcas nas lojas mais descoladas de Los Angeles, Tóquio, Xangai e Itália.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - Pronto-a-vestirLuxo - DiversosDesfilesColeção