Lojas Renner tem lucro abaixo das expectativas devido ao aumento das despesas operacionais

A Lojas Renner SA, a maior varejista de vestuário do Brasil, divulgou seus resultados financeiros referentes ao quarto trimestre de 2017. Apesar de bom ritmo de vendas e aumento de 10,7% no lucro liquido, o grupo não atingiu as estimativas dos analistas, devido às despesas relacionadas ao agressivo plano de expansão.


Photo: Lojas Renner

Em um comunicado, a Lojas Renner, proprietária das marcas Renner, Camicado e Youcom, informou que seu lucro líquido no quarto trimestre de 2017 totalizou 331,8 milhões de reais, um aumento de 10,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os analistas esperavam lucro de 377 milhões de reais no período, de acordo com a Reuters. As vendas em mesmas lojas subiram 8,7% em relação ao mesmo período do ano anterior, abaixo da estimativa de 9,6% de analistas do BTG Pactual. O Ebitda ajustado, lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização, aumentou 6,3% no trimestre para 603,4 milhões de reais, abaixo da estimativa de 661 milhões de reais.

As despesas operacionais subiram 22,8%, com forte aumento nos custos gerais e administrativos pressionando as margens. Essas despesas adicionais estão relacionadas aos projetos de expansão em andamento, além da maior alocação de verba de marketing, em especial no período de outubro a dezembro de 2017 por razões estratégicas, segundo informou o diretor financeiro da Renner, Laurence Gomes, em entrevista sobre os resultados.
 
A empresa inaugurou 22 lojas no trimestre, sendo 12 da Renner, com destaque para a loja no Shopping de luxo JK Iguatemi, em São Paulo, e duas no Uruguai. A marca agora conta com uma rede de 500 lojas em operação. Foram inauguradas também duas lojas Camicado e 8 Youcom. Os investimentos totalizaram 230,2 milhões de reais, em comparação com 160,2 milhões, no mesmo período do ano anterior. 

Ansioso com 2018, Laurence Gomes disse que a empresa está planejando gastos de capital de 620 milhões de reais e a abertura de 70 novas lojas, sendo mais duas lojas no Uruguai em 2018, totalizando cinco unidades no país. Segundo o executivo, a empresa quer consolidar seu posicionamento no Uruguai antes de considerar ampliar seu negócio para outros países. "O Uruguai superou nossas expectativas", disse Gomes sobre o desempenho da marca no Uruguai.

A Renner se transformou de loja de departamento tradicional em uma varejista de fast fashion com tecnologia avançada. A mudança, combinada com a recuperação do consumo no Brasil, fez as vendas e lucros aumentarem. Em 2017, suas ações subiram mais de 70%.

A empresa abraçou de forma rápida a onda de digitalização que invadiu o varejo brasileiro, mas agora enfrenta uma concorrência crescente à medida que empresas como Marisa Lojas SA e Lojas Riachuelo SA aumentam seu comércio eletrônico, e a Amazon.com Inc aumenta sua presença no Brasil.

Laurence Gomes disse que a Renner está alavancando sua presença física para tornar suas ofertas de comércio eletrônico mais atrativas em relação aos seus concorrentes, ao permitir compras online com possibilidade de troca em lojas físicas, entre várias outras medidas.

A Renner, que foi criada em 1965 e tem sede em Porto Alegre, é a maior varejista de moda no Brasil. Ela conta com 330 lojas da marca de moda Renner, sendo 3 no Uruguai, 98 da marca de artigos para casa e decoração, Camicado, e 84 da marca de moda jovem, Youcom, além de suas plataformas online e uma marca exclusiva de e-commerce, Ashua. 

Dariella Novello com Reuters

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2018 Todos os direitos reservados.

ModaNegócios