LVMH está perto de assumir o controle da Jean Patou

A LVMH está perto de adquirir uma nova marca de perfumes, a Jean Patou, de forma discreta.


Fundador Jean Patou - Image: Jean Patou

O gigante conglomerado francês assumiu o controle administrativo da Jean Patou no ano passado sem fazer qualquer alarde. A marca pertencia ao Designer Parfums, um grupo britânico sediado em Watford, ao norte de Londres, que pertence à família de negócios Mehta.
 
Já em 6 de setembro de 2017, o conselho de Jean Patou nomeou Sidney Toledano como seu novo presidente, substituindo Nikita Mehta, a filha de 28 anos de Dilesh Mehta, CEO e fundador da Designer Parfums.

Sidney Toledano, membro do conselho da LVMH, era na época o CEO da Christian Dior. Em janeiro, ele se tornou o presidente da LVMH Fashion Group, que controla uma série de importantes marcas de moda, incluindo Céline, Fendi, Givenchy, Pucci, Kenzo e Loewe.

Além disso, a sede de Jean Patou está agora listada na Rue Jean Goujon, 24, que é também o endereço da sede principal da LVMH Fashion Group. Em seu perfil no LinkedIn, Nikita Mehta menciona que trabalha na LVMH desde junho de 2017 como Project Assistant Manager da LVMH.

Os porta-vozes da LVMH e de seu Fashion Group não quiseram comentar sobre a aquisição. E Sidney Toledano não respondeu aos pedidos de comentários. 

No entanto, Dilesh Mehta confirmou ao FashionNetwork.com que a Designer Parfums está perto de firmar uma parceria estratégica com a LVMH para dividir a propriedade da famosa marca de perfumes.

“Eu assinei um NDA e não posso dizer mais nada. Isso deve ser concluído em setembro. Acreditamos que é vital para o crescimento futuro da Jean Patou desenvolver um departamento de moda, e ninguém é melhor nisso do que a LVMH”, disse Mehta.


Image: Jean Patou

Os interesses por uma marca como a Jean Patou são múltiplos para Bernard Arnault, o presidente e acionista controlador da LVMH, cuja divisão de perfumes e beleza já inclui Christian Dior, Guerlain, Acqua di Parma, Make Up For Ever; os perfumes de Givenchy, Marc Jacobs, Louis Vuitton e Kenzo, assim como a varejista de beleza Sephora.

Uma marca de perfume lendária que remonta a 1912, quando o fundador Jean Patou abriu sua marca de moda, antes de fechá-la durante a Primeira Guerra Mundial, e depois reabri-la quando voltou do exército.
 
Jean Patou lançou seu negócio de perfumes com três fragrâncias em 1925. Um inovador notável, seu Huile de Chaldéee é muitas vezes mencionado como o primeiro protetor solar. No entanto, o perfume mais conhecido de Patou, que faleceu em 1936, é Joy, uma fragrância floral e rosa que foi um dia o perfume mais caro do mundo.

Além disso, Patou é uma célebre marca francesa que possui uma reputação brilhante. Em 2000, o Prêmio FIFI, o Oscar da perfumaria, nomeou Joy o "Perfume do Século", batendo a rival Chanel com seu No. 5. A marca de Patou também tem um DNA de moda muito credível, e contou com designer famosos como Karl Lagerfeld, Jean-Paul Gaultier e Christian Lacroix em sua criação. 
 
A Designer Parfums, que adquiriu a Jean Patou da Procter & Gamble em 2011, ainda controla uma série de perfumes, incluindo Frédéric Fekkai, Naomi Campbell, Jennifer Lopez, Parfums Scherrer, Worth, Porsche Design, Ghost e Manish Arora.

Em 2013, o ex-presidente de Patou, Bruno Cottard, revelou planos para reintroduzir a sua divisão de moda, mas isso não aconteceu. Isso deve mudar rapidamente quando o acordo com a LVMH for concluído.
 
Esta parceria também fechará um ciclo. Patou saiu da moda quando seu então estilista Christian Lacroix deixou a marca para fundar sua própria grife em 1987. O nome do seu patrocinador? Bernard Arnault.
 

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Luxo - DiversosNegócios