L'Oréal: divisão de luxo sustenta os resultados anuais

O grupo francês, L'Oréal, divulgou seus resultados anuais na quinta-feira (8), que tiveram alta graças ao desempenho de sua divisão de produtos de luxo (cujo portfólio de marcas inclui Lancôme, Urban Decay, entre outras), cujas vendas aumentaram graças aos clientes chineses.


Reuters

A principal empresa de cosméticos do mundo encerrou seu ano fiscal de 2017 com um aumento de 0,7% nas vendas, para 26,02 bilhões de euros, um valor ligeiramente inferior ao previsto pela Financial Inquiry e informado à Reuters, de 26,18 bilhões de euros.

Em dados comparáveis, o crescimento anual do grupo permaneceu praticamente estável em 4,8%, em comparação com 4,7% em 2016, após um leve aumento de 5,5% no quarto trimestre, um pouco acima dos 5% esperados pelos analistas.

O lucro operacional aumentou 3% para 4,67 bilhões de euros, em linha com as expectativas, e 4,4%, excluindo os efeitos das taxas de câmbio. Enquanto isso, a margem operacional ganhou 40 pontos base e foi equivalente a 18% graças à venda da marca britânica The Body Shop para o grupo brasileiro Natura&Co, no ano passado, cuja rentabilidade era de apenas 3,7%.

O lucro líquido excluindo itens excepcionais aumentou 2,8% para 3,75 bilhões e o dividendo proposto aumentou 7,6% para 3,55 euros.

O grupo está confiante em sua capacidade de "moldar" o mercado mundial de cosméticos em 2018, e em progredir em seus resultados anuais, em dados comparáveis.

Pascale Denis, editado por Dominique Rodriguez

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2018 Todos os direitos reservados.

PerfumesCosméticaBeleza - DiversosLuxo - DiversosNegócios