Indústria espanhola de calçados melhora suas exportações no primeiro trimestre

epois de um ano difícil, a indústria espanhola de calçados tem mostrado sinais de recuperação no exterior. Segundo a Federación de Industrias del Calzado Español (Fice), dados da balança comercial do primeiro trimestre mostraram uma reviravolta, registrando novo superávit comercial do setor de 21 milhões de euros.


Indústria espanhola de calçados melhora suas exportações - Fice

De acordo com um relatório apresentado recentemente pela organização espanhola, os calçados espanhóis estão atingindo novos mercados. As exportações para fora da União Europeia subiram 8,6% no trimestre, com um crescimento de 22% nos EUA e 46% na Rússia.

Conforme os dados apresentados, as exportações de calçados atingiram 834.4 milhões de euros (48 milhões de pares) no primeiro trimestre de 2017, representando uma ligeira queda de 1% em valor, mas aumento de 3,4% em volume, em relação aos resultados obtidos no mesmo período de 2016.

A União Europeia é o principal comprador de calçados espanhóis, respondendo por 78,8% do total das exportações em volume, e 74,8% em valor. França, Itália, Alemanha, Portugal e Reino Unido são os principais destinos.

As exportações para a UE atingiram 624,6 milhões de euros (37,8 milhões de pares) entre janeiro e março, com uma diminuição de 3,8% em valor, mas aumento de 3,5% em pares.

A França teve 19% da quota total das exportações e lidera o ranking dos destinos com 158,2 milhões de euros (10,6 milhões de pares).

Esses dados refletem queda de 12,3% em valor e 1,5% em pares. Na Itália, segundo maior comprador de calçados espanhóis, com 114,4 milhões de euros e 6,2 milhões de pares, as exportações cresceram significativamente com 10% em valor e 9% em pares. O país representa 13,7% das exportações totais.

Na Alemanha, terceiro maior comprador, com 80,5 milhões de euros e 3,7 milhões de pares, as exportações voltaram a crescer, com 0,5% em valor, e 0,2% em volume.

Enquanto isso, as exportações para destinos fora da UE aumentaram para 209,7 milhões de euros (10,1 milhões de pares), com crescimento de 8,6% em valor, representando 25,2% do total. Esses dados reafirmam o compromisso da indústria espanhola em diversificar seus mercados-alvo com marcas globais.

Os Estados Unidos foram o principal destino das exportações fora da UE, subindo para o quarto lugar na lista mundial de parceiros comerciais dos calçados espanhóis, detendo 7% do total. As exportações atingiram 57,7 milhões de euros e 1,6 milhões de pares, no primeiro trimestre, com aumento significativo de 22,2% em valor e 29% em pares.

A FICE também destacou o preço médio de exportação nos Estados Unidos, que chegou a 36,58 euros o par.

Por fim, o Japão finalmente voltou a ser o primeiro e maior cliente dos calçados espanhóis na Ásia. As exportações (17 milhões de euros e um milhão de pares) tiveram valores mais positivos do que nos primeiros três meses de 2016. Em termos de valor caiu 1% e teve aumento de 9% em pares.

Quanto às importações do primeiro trimestre, o relatório da FICE registrou compras externas de 87 milhões de pares, no valor de 813 milhões de euros, o que indica redução de 7,5% em pares e 1,9% em valor.

A análise apontou que a estrutura das importações espanholas de calçados tem caráter piramidal, com um grande substrato de calçados provenientes da Ásia, e indicou onde se concentra o produto dos vizinhos europeus.

China e Vietnã continuam sendo grandes fornecedores e, dentro da Europa, Holanda, Itália, Portugal, Bélgica, França e Alemanha ocuparam as primeiras posições.

Traduzido por

Copyright © 2017 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - CalçadosLuxo - CalçadosNegócios