Impostos atrasados ​​da Walmart Brasil podem chegar a US $ 3 bilhões

Potenciais adquirentes das operações da Walmart Inc no Brasil estimam que a unidade deve cerca de 3 bilhões de dólares em impostos atrasados ​​para os governos estaduais, de acordo com três pessoas com conhecimento sobre assunto, o que poderia aumentar a pressão por uma venda com desconto.



Segundo as fontes, as empresas de compra, Advent International Corp, GP Investments Ltd e Acon Investments fizeram ofertas por uma participação majoritária na unidade brasileira da Walmart no final de janeiro e tomaram conhecimento dos impostos não pagos enquanto analisavam as contas da empresa.

As três empresas de investimento, a Walmart e o sua consultora financeira Goldman Sachs & Co, estão discutindo uma maneira para a varejista americana assumir a maior parte dos passivos tributários no Brasil, ao mesmo tempo que administra o controle de seus ativos, de acordo com as fontes.

Os representantes da Walmart no Brasil disseram que a empresa "não comenta sobre a especulação do mercado". A Advent também não quis comentar, e Acon e a GP Investments ainda não se pronunciaram.

Os impostos atrasados, que a Walmart está contestando no tribunal, são apenas uma conseqüência de anos sucessivos de erros que o maior varejista do mundo cometeu no Brasil, resultando em uma operação extensiva e não lucrativa que, segundo as fontes, atraíram pouco interesse de compra dos rivais.

Os maiores passivos fiscais decorrem das tarifas locais de varejo em diferentes estados, sendo as maiores em Santa Catarina e Pernambuco, onde a Walmart adquiriu cadeias de supermercados regionais durante uma expansão há mais de uma década, disseram as fontes.

Ambos os estados estão processando o Walmart e, pelo menos, dois ex-altos executivos pelos impostos não pagos, de acordo com documentos de tribunais regionais vistos pela Reuters. A empresa americana está pagando advogados para defender seus ex-executivos, disse uma pessoa com conhecimento do assunto.

Os funcionários do Tesouro do Estado se recusaram a comentar sobre os passivos fiscais, citando leis de sigilo fiscal. Os impostos estatais pagos em última instância podem ser menores do que as estimativas dos concorrentes e outros potenciais compradores podem avaliar os valores de forma diferente.

A Walmart vem enfrentando problemas operacionais no tratamento de impostos no Brasil há anos, enquanto tentou adaptar seu software de gerenciamento proprietário para lidar com os cálculos complexos dos impostos de varejo no Brasil, de acordo com uma das fontes.

O enorme passivo tributário tornará ainda mais difícil para a Walmart lucrar com a venda das cerca de 540 lojas no Brasil, que geraram quase 30 bilhões de reais de receita em 2016, mas lutaram para obter lucro líquido.

Dada a falta de rentabilidade, pelo menos uma das compradoras pretende separar as operações do Walmart no Brasil depois de adquirir controle, acrescentaram as fontes.

A divisão Maxxi e o supermercado regional Bompreço, com cerca de 60 lojas no Nordeste do Brasil, podem ser vendidos para rivais locais. As operações no Sul, onde a Walmart tem cerca de 130 lojas operando sob quatro marcas, também podem ser vendidas como uma unidade independente, de acordo com fontes.

A cadeia de varejo Sam's Club, uma das poucas unidades lucrativas do Brasil, pode estar se preparando para uma oferta pública inicial, disse uma fonte próxima a um dos licitantes.

As outras empresas de compra podem tentar uma reviravolta mais tradicional, melhorando a lucratividade sem separar as atuais operações do Walmart, disseram fontes.

Traduzido por Novello Dariella

copyright_reutersapi

Moda - DiversosIndústriaNegócios