Hermès: faturação ascende aos 1,46 bilhões de euros no terceiro trimestre

A Hermès se disse “otimista relativamente ao futuro" na quarta-feira após a divulgação do aumento de 9,4% das suas vendas no terceiro trimestre, com a marca francesa a ser impulsionada pelo sucesso das suas bolsas e do seu prêt-à-porter.


O crescimento da Hermès desacelerou ligeiramente no último trimestre - Hermès © Kyle Yu

O grupo de luxo anunciou um volume de negócios trimestral de 1,46 bilhões de euros, superior ao consenso estabelecido pela Factset, que apontava para 1,44 bilhões.
 
O seu crescimento orgânico foi de 9,6%, o que significa um ligeiro abrandamento relativamente ao primeiro e segundo trimestres, com resultados de + 10,8% e + 11,6%, respectivamente.
 
"A Hermès alcançou um crescimento muito sólido nos primeiros nove meses do ano, em todas as regiões. Tendo em conta a nossa história e o nosso sucesso, estamos otimistas relativamente ao futuro", afirmou num comunicado o presidente Axel Dumas .
 
O grupo destaca "um crescimento particularmente robusto no terceiro trimestre" e acredita que "a progressão das vendas nas lojas do grupo, sólido e muito saudável, confirma as tendências do primeiro semestre".

Ao longo de nove meses, a Hermès viu o seu volume de negócios chegar aos 4,31 bilhões de euros, o que representa um crescimento orgânico de 10,7%. A empresa avalia o "impacto negativo" da evolução cambial em 170 milhões de euros no volume de negócios no final de setembro.
 
"Neste momento, não vemos uma mudança de ritmo na China", disse Axel Dumas durante uma teleconferência, em alusão aos receios de uma desaceleração nas vendas na China em resultado das tensões comerciais com os Estados Unidos, que afetaram na bolsa os valores das marcas de luxo durante as últimas semanas.

"A médio prazo, apesar do fortalecimento das incertezas econômicas, geopolíticas e monetárias no mundo", a Hermès "confirmou o objetivo de progressão do volume de negócios a taxas constantes ambiciosas".
 
Em 2017, o grupo bateu todos os recordes com uma rentabilidade altíssima, com uma margem operacional de 34,6% das vendas. Também anunciou, em virtude do exercício de 2017, o pagamento de um dividendo "excepcional" de 5 euros, além do dividendo ordinário de 4,10 euros.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.

Luxo - AcessóriosNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER