Gucci: coleção Cruise 2019 incendeia os Alyscamps

As casas de moda podem levar seus convidados a visitar locais únicos para um desfile, mas certamente a Gucci apresentou uma novidade na noite de quarta-feira - um desfile em um cemitério.


Gucci Cruise 2019 - Pixelformula

E não era um cemitério qualquer: foram os cidadãos romanos que vieram desfrutar de seu descanso eterno no passeio dos Alyscamps. Um lugar que remonta a 4 anos aC, que marca teve o prazer de incendiar! Sem dúvida, Alessandro Michele acaba de ganhar uma reputação de imprudente merecida.

Depois de um longo dia de chuva, as nuvens seguraram suas gotas no momento do desfile no cemitério, localizado no centro da antiga cidade romana de Arles. A cerca de 450 metros, um coliseu romano onde Picasso assistia touradas. Alessandro Michele teve a audácia de incendiar as bordas do caminho de terra de 200 metros. Em ambos os lados, sentados em bancos prateados, VIPs, jornalistas, blogueiros e personalidades como Elton John, Valeria Golino, Salma Hayek e seu marido e proprietário da Gucci, François-Henri Pinault, CEO da Kering. Ter permissão para atear fogo a um patrimônio da UNESCO fala muito sobre o poder da indústria da moda.

Desde que assumiu as rédeas em 2015, Michele liderou uma revolução maximalista na moda. Mas este desfile era mais do que isso - duquesas malucas em vestidos de babados e descolados vestidos com leggings de zebra combinados com meias cor-de-rosa inspiradas no pop dos anos 40 eram ainda mais do que o suposto maximalismo; um casaco de cashmere vermelho de cabine telefônica inglesa usado sobre meias turquesa e scarpins com logotipos, e com óculos de sol de contraste para completar - uma lente preta e outra branca. A coleção estava abarrotada de  óculos incríveis: estilo roqueiro de insetos; motoqueiro cravejado e retro futurista pós ski. A Kering Eyewear vendeu mais de quatro milhões de pares no ano passado e a Gucci foi responsável por cerca de 40% deles. Esta marca está em chamas financeiramente também.

Ele também enviou uma série de moletons Chateau Marmont, bolsas logotipadas e jaquetas de shearling. Alegria aos olhos do empresãrio do hotel de Los Angeles, André Balazs. E Balazs estava recebendoos direitos em cima destas criações, alguém se perguntou? "Você pode apostar!" respondeu Balazs.

Na noite anterior, a Gucci publicou um vídeo em sua conta no Instagram. Imagens de túmulos cobertos de líquen, leões de pedra e cabeças de deuses mostraram o cenário, tudo acompanhado de uma voz de "Vivre sa vie", filme de Jean-Luc Godard narrando a vida de uma mulher parisiense. Mas no evento real, dificilmente se podia ver o monumento, já que este show começou na escuridão depois das 10 da noite; com gelo seco girando em torno das tumbas românicas.

Michele enviou os convites algumas semanas antes do show aos convidados através de um telegrama em cinza claro. Mas a coleção foi uma explosão de cores.

Foi também um sonho de Michele que se realizou: encenar um desfile em um cenário de antiguidade. No ano passado, ele admitiu querer o Partenon em Atenas, mas (mantido por uma ordem de preservação) acabou na galeria palatina do Palazzo Pitti em Florença.

Em 2016, inspirado pela “primeira estrela do rock”, seu nome para a rainha Elizabeth I, ele mostrou uma coleção cruise na Abadia de Westminster. Apesar de sua estréia no cruise 2015 ter sido bastante moderna em Nova York - dentro de uma antiga garagem no Chelsea.

A última grande cidade no rio Rhone, Arles é rica em história. Estabelecidos em 800 aC, os fenícios mais tarde transformaram-no em um importante porto comercial e os romanos assumiram o controle em 123 aC. Júlio César estabeleceu Arles como uma colônia para suas tropas veteranas em 46 dC, e o grande imperador do Sacro Império Romano, Frederico Barbarossa, foi coroado nesta cidade encantadora. Uma década atrás, eles encontraram o busto mais antigo de César, nas margens do rio Rhone, nas proximidades. Embora a importância da cidade tenha aumentado e diminuído ao longo da história. A chegada da ferrovia diminuiu o porto de Arles em algo remanescente. Uma razão que atraiu Vincent Van Gogh, que viveu por lá durante dois anos, criando mais de 300 pinturas e desenhos, e sempre ligando a cidade ao seu nome.

Pré-show, Michele até postou uma imagem em sua conta no Instagram da pintura de Van Gogh do carteiro Joseph Roulin. Não havia nenhum referência óbvia ao mestre holandês, mas campos de flores provençais e uma paleta de cores que Vincent adoraria.

O nome Alscamps vem do latim Elisii Campi, ou Campos Eliseus; ou em francês, Champs Élysées. O lugar de descanso final das almas heróicas na mitologia grega - e havia algo de heróico em todo esse espetáculo - um casting de millennials livres das inibições sexuais e morais da geração de seus pais.

Os convidados de Michele eram tão ecléticos quanto suas roupas. Veja Kim Jong-in, o dançarino e estrela do grupo coreano-chinês Exo (rotulado como a maior boyband do mundo); e ator em dramas da web e filmes, mais conhecido como Kai. Embora seu show pós-desfile tenha sido um bluesy rock clássico - cinco músicas de Elton John, que a Gucci está atualmente vestindo. Não tenho certeza do que as tropas de Júlio César teriam pensado deste desfile - mas os fãs da Gucci vão adorar.

Traduzido por Isabel Pimentel

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirLuxo - Pronto-a-vestirDesfiles