Fabian Garcia, CEO da Revlon, demite-se

Fabian Garcia, presidente e diretor executivo da Revlon, abandona o seu cargo na gigante dos cosméticos após desempenhar funções durante menos de dois anos.
 
Fabian Garcia, CEO da Revlon, demite-se - Facebook: Revlon

De acordo com um comunicado da marca, Garcia abandona o cargo para “ir em busca de outras oportunidades”, passando temporariamente o posto a Paul Meister, atualmente membro do Conselho de Administração da Revlon. Meister se tornará vice-presidente executivo do Conselho, supervisionando as operações quotidianas, enquanto Garcia deverá ajudar com a transição até ao final de fevereiro.
 
Garcia entrou na Revlon como presidente e CEO em abril de 2016, deixando uma posição na Colgate-Palmolive. Durante o seu período na Revlon, supervisionou uma estratégia de recuperação agressiva, incluindo a aquisição da Elizabeth Arden.
 
“Este foi um ano difícil para nós, tivemos que equilibrar uma integração bem-sucedida da Elizabeth Arden com o crescimento do e-commerce e das lojas de beleza especializadas. Estamos reagindo assertivamente às rápidas transformações do setor e quero agradecer a Fabian pela sua liderança durante este período desafiante e dinâmico”, disse Ronald O. Perelman, presidente do Conselho de Administração da Revlon.
 
A sua saída acontece num momento em que a Revlon acaba de anunciar os seus resultados financeiros preliminares para o ano fiscal e o quarto trimestre encerado em 31 de dezembro, citando consideráveis perdas líquidas no ano.   

A empresa de cosméticos espera que as vendas líquidas de todo o ano de 2017 sejam de aproximadamente 2,7 bilhões de dólares, contra 2,3 bilhões em 2016. As perdas líquidas deverão ficar entre 165 e 185 milhões de dólares, contra 21,9 milhões de dólares em 2016.
 
As vendas do quarto trimestre deverão ser de 785 milhões de dólares, contra os 801 milhões de dólares do quarto trimestre de 2016. As perdas líquidas deverão ficar na faixa entre 60 e 80 milhões de dólares, contra 36,5 milhões de dólares no quarto trimestre de 2016.

“Embora ainda tenhamos melhorias contínuas para levar a cabo, os nossos resultados do quarto trimestre são encorajadores e representam uma melhoria contínua em comparação com os primeiros nove meses do ano. A nossa posição líquida se fortaleceu e os cosméticos de cores da Revlon voltaram a crescer na América do Norte”, disse Chris Peterson, diretor de operações e diretor financeiro da Revlon.
 
“O setor está experimentando uma mudança profunda, mas estamos ganhando impulso graças à nossa estratégia de inovação e crescente migração para o envolvimento digital com os consumidores. Também estamos satisfeitos com o nosso contínuo crescimento no e-commerce e estamos ansiosos por expandir a nossa presença nesta importante categoria.”

Peterson acrescentou: “Ao contrário dos falsos rumores e especulações, não está a ser considerada nenhuma transferência de ativos materiais.”

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

CosméticaNomeaçõesNegócios