Estrela da NBA, Durant, critica a Under Armour e ações da empresa caem

As ações da Under Armour tiveram queda de mais de 3% na terça-feira (29), após os comentários negativos de Kevin Durant, estrela da National Basketball Association (Associação Nacional de Basquetebol dos Estados Unidos), que declarou que os jovens jogadores da liga não gostam dos tênis da marca.



"Ninguém quer jogar usando Under Armour. Eu sinto muito. As atletas de ponta não querem porque jogam de Nike ", disse o atleta All-Star do time campeão de 2017, Golden State Warriors, durante uma entrevista ao podcast" The Ringer "na segunda-feira (28).

A Under Armour ainda não se pronunciou sobre o assunto. 

As empresas de roupas esportivas pagam milhões de dólares aos atletas de primeira linha para endossar sapatos e outros equipamentos esportivos. Durant assinou um novo contrato de calçados com a Nike em 2014, desprezando um acordo com a Under Armour, que teria somado 285 milhões de dólares em 10 anos.

O companheiro de equipe dos Warriors, Stephen Curry, tem um contrato multimilionário com a Under Armour, que inclui uma participação acionária. Perguntado se tinha falado com Curry sobre os calçados Under Armour, Durant, o jogador mais valioso das finais da NBA 2017, disse: "Todo mundo sabe disso. Eles simplesmente não querem se pronunciar”.

A linha de calçados de Curry carregou as vendas da Under Armor por três anos, mas a demanda pela última coleção, Curry 3, não foi bem aceita.

A Under Armour, que tem sede em Baltimore, Maryland, nos Estados Unidos, se tornou uma sensação nos últimos anos, impulsionando a moda "athleisure". Mas com as mudanças nas tendências, a empresa está com dificuldades em proporcionar novas ofertas para atrair compradores.

No início de agosto, a empresa informou que irá cortar empregos e fechar lojas, informação que derrubando as suas ações para mínimos históricos. Na terça-feira, as ações caíram 3.5% para 16.34 dólares, elevando a perda desde o início do ano para 44%.

Na segunda-feira (28), aumentando a pressão na Under Armour e na Nike, a loja de sapatos de atletismo, Finish Line, cortou a previsão de lucro para o ano e disse que o setor de varejo vai permanecer "altamente competitivo e promocional".

A Finish Line diminuiu 18% e a Nike caiu 2,2%.
 

Traduzido por Novello Dariella

© Thomson Reuters 2017 Todos os direitos reservados.

EsporteNegócios