Ester Maria Laruccia (BBFW): "A digitalização do ponto de venda é fundamental para o futuro"

A Barcelona Bridal Fashion Week (BBFW) consolida a sua liderança global, registando recordes históricos com mais de 370 marcas confirmadas, 67% das quais internacionais, procedentes de 28 países. O evento, que será realizado de 23 a 29 de abril no Recinto de Exposições de Montjuïc da Fira de Barcelona, ​​continua a crescer, com mais 20% de participantes, tornando-se na trade fair de referência do setor.


Ester Maria Laruccia - DR

Internacionalização, garantia de crescimento

"A Espanha ocupa um lugar privilegiado a nível internacional, tanto no que diz respeito a grandes líderes mundiais como a empresas mais pequenas, em termos de volumes, que recebem grande atenção de noivas e lojas pela sua qualidade e design", explica Ester Maria Laruccia, diretora da BBFW desde 2015, à FashionNetwork.com.

Indubitavelmente, um estatuto que está intrinsecamente ligado ao evento, que nesta edição atrairá compradores de 50 países. "O BBFW é líder no continente e podemos dizê-lo com a cabeça bem erguida. Os mercados inglês, italiano e alemão também têm o seu nicho de mercado, mas todos lutam para se internacionalizar. Um país sozinho já não é suficiente para assegurar o crescimento do volume de negócios de todas as suas marcas", analisa Ester Maria Laruccia.
 
E não há dúvidas de que acomodar diferentes modelos de negócio pode garantir o sucesso do setor nupcial na Espanha. "Todos têm capacidade para triunfar. De grandes empresas de projeção internacional a pequenas e médias empresas, até negócios familiares", assegura. "A essência da indústria da moda noiva espanhola é o amor pela costura, o artesanato, o design e a tradição, com uma excelente relação preço-qualidade."

Razões de peso, que permitiram ao país ocupar o segundo lugar no setor a nível internacional. "O Made in Spain é dos mais desejados no mundo", afirma Laruccia, especificando os principais mercados de importação para a moda noiva espanhola: "A proximidade geográfica e as tendências da moda fazem da Europa o local onde tem mais adesão". A China, por seu lado, ocupa o primeiro lugar de forma imbatível, o que não parece preocupar Laruccia, que está segura de estar fazendo o seu trabalho da melhor forma.  "São duas realidades completamente diferentes. Os fatores diferenciais de Espanha em relação à China são design e qualidade, nunca competiremos em volumes. E é sob estes valores que temos de continuar trabalhamos", conclui.

Apesar disso, os tempos mudaram e os desafios do setor evoluíram. "Rompemos os limites geográficos e as barreiras caíram, contamos já com presença em todos os continentes", afirma. "As empresas espanholas estão à frente de outros países, ao terem muito claro que, para manter os seus níveis de vendas, tinham de exportar, o que nos permitiu entrar em muitos mercados", comenta a diretora do evento, assegurando que foi a chave para que Espanha reagisse à crise mais rapidamente do que outros países.

Não faltam motivos para otimismo, visto que o evento registou um crescimento médio anual de 15% em todos os seus parâmetros. "A internacionalização da oferta, que tem acontecido nos últimos três anos de 50% a 67%, bem como a presença de compradores de grande prestígio, que vêm a Barcelona e encontram qualidade, design e novidades, nos permitiram a liderança", explica.
 
Análise e digitalização, chaves para o futuro

"Queremos ser úteis para o setor, não só para divulgar as tendências, mas para apresentar as novidades ao nível dos modelos de negócios", diz Laruccia. Uma vontade de divulgação que os levou a ser pioneiros, em 2016, com a publicação do estudo "Millennial Brides: nascer nos anos 80, casar hoje", em colaboração com José Luis Nueno, professor da IESE Business School. Uma nova análise, sobre a digitalização do ponto de venda, será publicada em breve.

"As noivas millennials são as primeiras nativas digitais, o que altera o sistema de compra. A procura por um vestido começa, muitas vezes, através de um celular. Esta relação com a digitalização tem de passar posteriormente pelo ponto de venda. O nosso desafio é continuar a fornecer informação e formação aos operadores do setor", explica Laruccia, manifestando a necessidade de se estudar o fenômeno do ponto de vista das escolas de negócios.

"Para o setor, a noiva se informa através dos canais digitais e, na maioria dos casos, acaba  concretizando a sua compra no ponto de venda. Mas, esse lugar precisa de se transformar e se adaptar às evoluções", afirma, apontando para a digitalização como um tema fundamental para o setor. "Uma noiva aberta ao omnichannel está habituada a utilizar a tecnologia, e a digitalização do ponto de venda é fundamental para que elas continuem comprando no canal físico no futuro", defende, face à previsão do crescimento das vendas online nos próximos anos, também no setor de luxo. "O varejo precisa de se preparar para este novo cenário, que já atingiu os setores esportivo e tecnológico."

Da mesma forma, as novas noivas, também chamadas de millennials, contribuíram para renovar um setor que não se quer limitar ao tradicional. "Antes havia um modelo de vestido e as mulheres se adaptavam; agora é o contrário, são as empresas que se adaptam aos infinitos perfis de mulheres, com um enorme leque de possibilidades. As mulheres querem manter a sua identidade no dia do seu casamento", explica.

Neste contexto, a Espanha pode se gabar de ser o único país ocidental com uma produção superior à procura interna e as exportações representam 41% do volume de negócios de vestidos de noiva. De acordo com os últimos dados do BBFW, isso equivale a 1.300 milhões de euros, com cerca de 700 empresas que empregam 6 mil pessoas.
 
Com os dados sobre a mesa, Ester Maria Laruccia não esquece o caminho do setor. "Os focos do futuro são a internacionalização e as novidades e tendências de produtos e modelos de negócio". E o discurso torna-se adequadamente reivindicativo: "Continuaremos a nossa luta para posicionar o setor nupcial no mundo da moda. Ele todos os números para não ser considerado como algo à parte, até porque é a moda na sua mais alta representação. Os vestidos de noiva são autênticas obras de arte.”

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

CasamentoSalões de ModaNegócios
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER