Dove pede desculpas por publicidade considerada racista

Londres, 9 outubro 2017 (AFP) -  A marca de cosméticos Dove, propriedade da gigante Unilever, pediu desculpas e reconheceu o seu erro após ter divulgado online uma publicidade que recebeu diversas acusações de racismo. 

Capturas de ecrã do controverso vídeo da Dove - DR

“Numa imagem publicada esta semana, cometemos um erro na representação das mulheres de cor, e lamentamos profundamente os danos causados”, declarou a marca numa mensagem publicada nas redes sociais Facebook e Twitter.
 
O vídeo em questão, uma publicidade a um gel de banho com uma duração de três segundos, mostra uma mulher negra a tirar a t-shirt para revelar uma mulher branca que depois remove também a sua t-shirt, revelando uma terceira mulher.
 
O vídeo, inicialmente divulgado na página de Facebook da Dove nos Estados Unidos e posteriormente apagado, foi amplamente compartilhado e denunciado por internautas de todo o mundo
 
“A publicidade da Dove é racista, irresponsável, insensível, desconectada, desagradável e deveria receber o prémio de cebola podre”, publicou na segunda-feira no Twitter @LebonaMoleli. “Ser negro significa estar sujo e ser indesejável?”, postou @Social_Heretic, apelando ao boicote dos produtos da Dove e da Unilever. A hashtag #BoycottDove foi amplamente partilhada nas redes sociais na manhã de segunda-feira.
 
Já em 2013, uma marca de cosméticos da gigante Unilever teve que se desculpar após a polémica causada por um concurso na Tailândia, feito à volta de um produto clareador de pele.

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.

CosméticaCampanhas