Crocs encerra suas últimas unidades de produção

Crocs, a marca dos famosos sapatos de plástico, encerrará as suas duas últimas unidades de produção, no México e na Itália, com o objetivo de melhorar a rentabilidade e focar no seu desenvolvimento online. A empresa, com sede em Niwot, Colorado (EUA), que opera 400 lojas em todo o mundo, irá subcontratar a produção e se concentrará no desenvolvimento dos seus negócios online.


Crocs fecha as suas duas últimas unidades de produção - Instagram: @crocs

“Em linha com os esforços contínuos para simplificar as operações e melhorar a rentabilidade, a empresa encerrou a sua unidade de produção mexicana no segundo trimestre e decidiu encerrar a sua última unidade de produção, localizada na Itália", escreve a Crocs num comunicado divulgado esta semana, por ocasião da publicação dos seus resultados trimestrais.
 
Apesar disso, a Crocs tranquilizou os fãs, incluindo Michelle Obama, preocupados com o seu futuro: "FALSO ALERTA! Nós não desaparecemos", escreveu o grupo na sua conta no Twitter.
 
A empresa acaba de contratar como diretora financeira Anne Mehlman, antiga dirigente do site online de calçado Zappos.com, propriedade da Amazon. Anne Mehlman assumirá o cargo no dia 24 de agosto.
 
Durante o segundo trimestre, o grupo encerrou 28 lojas físicas e opera apenas 400 lojas em todo o mundo, o que está em linha com a estratégia estabelecida no início deste ano para fechar mais de uma centena de pontos de venda. Estas medidas custaram ao grupo 22 milhões de dólares no segundo trimestre.

Lucro quase duplicou

A Crocs não deu detalhes sobre o futuro dos funcionários afetados pela sua reestruturação e diz apenas que já contabilizou despesas nas contas do segundo trimestre e que ainda o fará nos próximos meses.
 
Estas despesas específicas, que incluem indemnizações por despedimento, chegam aos 7,1 milhões de dólares.
 
No geral, o grupo apresenta um bom desempenho: obteve um lucro líquido de 30,4 milhões de dólares, quase o dobro do segundo trimestre de 2017 (18,1 milhões). O volume de negócios aumentou 4,7% ao longo do ano para 328 milhões de dólares. Excluindo efeitos cambiais, o aumento é de 2,3%.

A receita do comércio online cresceu 23,8%, enquanto as vendas no atacado aumentaram 7,2% e no varejo as vendas comparáveis em loja subiram 7,1%.
 
Sinal de que a situação não é alarmante, a Crocs recomprou cerca de 6 milhões de dólares das suas próprias ações no segundo trimestre e planeja recomprar 307 milhões no futuro.

As recompras de ações são uma forma indireta de uma empresa mimar os seus acionistas, uma vez que aumentam o preço das ações.
 
Criada em 2002, o Crocs atravessou momentos difíceis e teve que ser socorrida em 2013 pelo fundo americano Blackstone, que permitiu à empresa aumentar a sua diversificação. Os sapatos de plástico foram especialmente adotados pelos funcionários de hospitais.
 
Em 2017, a marca associou-se à marca de alta costura Balenciaga para lançar uma versão compensada das crocs, chamada "Foam" (espuma).

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © AFP. Todos os direitos reservados. A Reedição ou a retransmissão dos conteúdos desta página está expressamente proibida sem a aprovação escrita da AFP.

Moda - CalçadosModa - DiversosIndústria
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER