Consumidores pretendem comprar de forma mais inteligente com seus aparelhos

Relaxnews – Os consumidores estão cada vez mais inclinados a confiar nas informações que recebem em seus smartphones e dispositivos móveis do que a pedir ajuda a um vendedor ao realizar uma compra.

Essa tendência crescente – de acordo com a Associação de Consumidores Eletrônicos (CEA) dos EUA, 58% dos consumidores americanos admitem fazê-lo – confirma-se mais entre homens de 25 a 44 anos e é mais comum quando a compra em questão é um aparelho eletrônico.

Ao planejar uma nova compra tecnológica, 60% dos compradores alegam usar seus aparelhos para ajuda, ao passo que 55% desses dizem que seus smartphones os ajudam a fazer compras em supermercados físicos. Além disso, 47% dos entrevistados admitem comportamento similar ao comprar roupas, 45% o fazem antes de comprar sapatos e 39% para escolher produtos de saúde e beleza.

O relatório da CES “Melhorando a Experiência dos Consumidores de Eletrônicos nas Lojas Usando Aparelhos Móveis” descobriu que 62% dos compradores móveis – ou seja, aqueles armados com um smartphone ou tablet enquanto passeiam pelos corredores das lojas – acreditam mais em informações obtidas em buscas com seus aparelhos móveis ou aplicativos do que nas informações das lojas ou displays dos produtos.

“Os aparelhos móveis modificaram bastante o comportamento dos consumidores”, diz Steve Koenig, diretor de análise da indústria da CEA. “As lojas estão cada vez mais focadas em criar uma experiência de consumo completa, e os aparelhos móveis agora são uma peça vital desse quebra-cabeça”.

Entre aqueles que usam smartphones nas lojas, a ação mais comum é a busca geral na Internet (69%). Apenas pouco mais da metade (52%) visitam um site específico de loja, 47% usam aplicativos específicos de lojas para smartphones ou tablets e 46% dizem que verificam o site do fabricante.

Ao comprar aparelhos eletrônicos, comparar preços (63%), ler notas e avaliações (52%) e buscas na Internet por mais informações (51%) são as ações mais comuns com smartphones.

No entanto, o smartphone não está substituindo o relacionamento tradicional que a loja tenta manter com seus consumidores. Dos compradores entrevistados pela CES, 81% dizem que estariam preparados para compartilhar dados pessoais com uma loja em troca de ofertas especiais ou outros benefícios.

Os consumidores ficam mais confortáveis em compartilhar sua localização física (48%), seguido de seu perfil de usuário (46%) e detalhes de contato pessoal (40%).

“Em pouco tempo, a maioria dos americanos passou a possuir aparelhos móveis, e, tão rápido quanto, tais aparelhos se tornaram os visores da vida digital dos americanos”, diz Shawn DuBravac, Ph.D., economista-chefe da CEA. “Agora estamos vendo esta tendência influenciar os hábitos dos consumidores, em especial nas compras de itens tecnológicos. As lojas estão começando a responder a esses novos hábitos, e isso pode ser verificado agora nas compras do fim de ano, com o crescimento do interesse nos aplicativos de lojas”.

Copyright © 2018 AFP-Relaxnews. All rights reserved.

Moda - Pronto-a-vestirDistribuição