Consumidores de beleza buscam mais orientação

Um estudo recente encomendado pela empresa de marketing Automat revelou que a indústria da beleza está madura para a implantação de consultores virtuais, com consumidores ávidos por orientação, mas relutantes em se envolver com funcionários de lojas.


A Coty, empresa-mãe da Covergirl, investiu pesado em novas tecnologias de RA recentemente, mas poderia fazer mais em termos de AI - Instagram: @covergirl

O estudo foi realizado em comissão pela empresa independente de pesquisa de consumo, Wakefield Research, e entrevistou 1.500 mulheres consumidoras de beleza nos Estados Unidos, com idades entre 18 e 65 anos. 70% das entrevistadas disseram que se sentiam sobrecarregadas com a gama de opções de produtos no setor de beleza, e 63% afirmaram que estavam confusas com as diferentes descrições dos produtos feitas pelas marcas.

Se isso sugere que os consumidores estão clamando por orientação, também parece que os varejistas de beleza devem ter cuidado com a forma como eles oferecem isso. Cerca de dois terços das participantes da pesquisa disseram que preferiam comprar sozinhas, fato que aparentemente diverge de outros estudos recentes sobre consumidores, enfatizando a importância do atendimento ao cliente para a sobrevivência do varejo físico.

Mais de dois terços das entrevistadas preferem buscar suas próprias informações, pesquisando produtos online antes de visitar um local físico, enquanto 71% realizam pesquisas adicionais em dispositivos móveis enquanto estão na loja. Como apontado pela Automat, isso sugere que as experiências on e offline já estão muito interligadas para a grande maioria dos consumidores, um padrão de comportamento observado anteriormente pela National Retail Federation e pela IBM em um estudo sobre o comportamento de compra da Geração Z, publicado em abril.

O mesmo estudo sugeriu que os varejistas poderiam aproveitar essas tendências de consumo inovando com a integração entre as plataformas, o que poderia engajar os compradores nas lojas físicas por meio de tecnologias móveis. O estudo da Automat traça uma conclusão similarmente focada na tecnologia, e prevê que o futuro do varejo de beleza deve recair sobre consultores virtuais habilitados em IA. De fato, 49% das entrevistadas pela Wakefield disseram que provavelmente procurariam um consultor de beleza virtual caso este estivesse disponível online ou offline.

A indústria da beleza foi revolucionada pelas tecnologias digitais nos últimos anos, graças aos aplicativos de maquiagem de realidade aumentada (como o YouCam MakeUp da Perfect Corp.) e até aos espelhos “mágicos" virtuais (como o modelo da Coty em sua loja da Bourjois em Paris) transformando radicalmente a experiência do consumidor. No entanto, a Automat acredita que as possibilidades oferecidas pelos consultores virtuais têm sido relativamente negligenciadas até agora.

"Ferramentas simplistas de venda guiadas existem, mas não são profundas o suficiente em termos de conhecimento dos consumidores, do fornecimento de recomendações personalizadas e confiáveis, e de entrega de experiências positivas que consolidem as relações com os consumidores ao longo do tempo", afirma o relatório, destacando o potencial para novos investimentos e inovação em tecnologias de inteligência artificial, que poderiam ajudar os consumidores a fazer escolhas mais assertivas na loja online ou física.

"Os consumidores de beleza estão realmente enfrentando dificuldades para entender quais produtos de beleza são adequados para eles. É ridículo que os consumidores de hoje gastem tanto tempo e esforço para realizar compras de beleza", comentou o CEO e cofundador da Automat, Andy Mauro, em um comunicado. "A nova tecnologia de IA de conversação e os consultores de beleza virtual permitem superar essa complexidade e proporcionam a facilidade de uso, a conveniência e as experiências personalizadas que os consumidores tão claramente precisam e desejam", concluiu.

A pesquisa da Automat foi realizada em maio deste ano como parte da pesquisa da empresa sobre a tecnologia da IA ​​no setor de beleza, uma atividade que anteriormente resultou no lançamento da plataforma Beauty.bot. Todos os participantes do estudo tinham uma renda familiar acima de 40.000 dólares, eram usuários de smartphones com Facebook Messenger instalado, e fizeram uma compra de beleza nos três meses anteriores à pesquisa.

Os resultados completos do estudo podem ser encontrados no site da Automat.
 

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

CosméticaEstéticaIndústriaInovações
ASSINE A NOSSA NEWSLETTER