Compras online não vão crescer para sempre, diz CEO da Unibail

Segundo o CEO da Unibail-Rodamco, as compras online têm limitações e as lojas físicas nunca sairão de moda. A empresa está apostando 16 bilhões de dólares na compra da Westfield para criar um shopping global gigante.


Photo: Wikimedia

O acordo ocorre em um momento em que o setor varejista tradicional e os centros comerciais estão sob pressão para se reinventar diante da feroz competição online liderada pela Amazon.

No entanto, segundo Christophe Cuvillier, presidente-executivo da Unibail-Rodamco, as compras online ainda vão representar 20% dos gastos globais de varejo, em comparação com os 8 a 10% de hoje, embora ele não tenha dado um prazo.

"A Internet vai crescer, mas não pode fazer tudo. É muito difícil ser lucrativo nesse meio, especialmente em varejistas online pure-play", disse ele a jornalistas na quinta-feira (14).

"Os varejistas precisam de presença física", ele acrescentou, observando que empresas como Apple, Nespresso e Tesla e até mesmo a Amazon abriram lojas físicas.

A aquisição planejada da Westfield pelo grupo franco-holandês, Unibail, criará um concorrente mais forte para o maior proprietário de imóveis comerciais do mundo, Simon Property Group, com 104 centros e mais de 1,2 bilhão de visitantes ao ano.

O acordo oferece à empresa focada na Europa, Unibail, que detém os shoppings Les 4 Temps e Forum des Halles, em Paris, bem como centros em locais como Helsínquia e Valência, uma exposição em países como Grã-Bretanha, Estados Unidos e Itália, onde a Westfield conta com 35 shoppings.

A aquisição faz parte da estratégia da Unibail de se concentrar cada vez mais em shoppings em locais high-end e a Westfield deve levar shoppings à grandes cidades como Londres, Nova York e São Francisco, que oferecem aos clientes uma grande variedade de restaurantes, bares e entretenimento.

O Unibail poderia replicar alguns dos serviços da Westfield em seus outros centros da Europa, incluindo eventos como shows e lojas pop-up, informou uma fonte familiarizada com o assunto.

"Os grandes centros comerciais (Westfield) estão se fortalecendo", disse Grant Berry, gerente de portfólio da corretora australiana S.G. Hiscock, que detém ações de investimento imobiliário que incluem a Westfield.

"Nada mudou quanto a esses grandes centros comerciais serem pontos de encontro para entretenimento e experiências".

A Unibail disse que planeja vender alguns shoppings regionais Westfield nos Estados Unidos para se concentrar em shoppings em pontos centrais de grandes cidades, mas não forneceu mais detalhes.

Christophe Cuvillier disse que uma das razões pelas quais muitos shoppings e lojas de departamento americanos estão enfrentando dificuldades é a incapacidade de se diversificar para oferecer mais opções de alimentação aos clientes.

"Eu acredito que o varejo de alimentos é uma forma de recuperação para os centros comerciais dos Estados Unidos. Algumas lojas de departamentos não têm mais nada a oferecer”, disse Culliver.

Traduzido por Novello Dariella

copyright_reutersapi

Moda - DiversosDistribuiçãoNegócios