Asos inverte a tendência no Reino Unido, Estados Unidos e Europa

A Asos publicou na quinta-feira os seus resultados do outono e período de Natal, que mostraram o quão forte pode ser um negócio quando tudo é feito corretamente. O contexto das vendas a retalho de produtos de moda pode ser francamente terrível em muitos dos mercados, mas isso não impediu que o e-tailer registasse um aumento de 28% nas vendas.


Asos

E mesmo no Reino Unido, onde uma série de retalhistas publicaram números modestos para este período, a Asos avançou com um crescimento com o qual a maioria dos seus rivais pode apenas sonhar. Quanto aos serviços Try Before You Buy (Experimente antes de comprar) e Asos Instant (que propõe entregas no mesmo dia), estes foram bem-recebidos no mercado britânico.
 
No período de quatro meses até 31 de dezembro, a receita total do grupo atingiu 808,4 milhões de libras (927,4 milhões de euros), contra 621,3 milhões de libras (712,7 milhões de euros) no ano anterior, o que se traduz num crescimento de 28% em moeda neutra, ou 30% sobre uma base declarada.
 
Analisando com mais detalhe, podemos ver um desempenho sólido em todos os seus mercados. O Reino Unido subiu 23% para 300,9 milhões de libras (345,2 milhões de euros) e o mercado americano teve resultados ainda melhores, com um crescimento de 28% em moeda neutra, ou 24% declarada, para 102,4 milhões de libras (117,5 milhões de euros). Quanto ao mercado europeu, as vendas aumentaram 32% em moeda neutra, 34% declarada, para um total de 235,2 milhões de libras (269,8 milhões de euros). O Resto do Mundo viu o seu volume de negócios aumentar 32% em moeda neutra, 34% declarada, atingindo os 151,9 milhões de libras (174,2 milhões de euros).
 
O mais impressionante nestes números é que não só a divisão britânica da Asos continuou a crescer, como ainda acelerou, apesar do difícil contexto do mercado. O período reportado inclui os meses de outubro, considerado difícil por muitos retalhistas habitualmente prósperos, e dezembro, complicado para muitos dos seus rivais.
 
Mas, a Asos vai claramente de vento em popa, e na quinta-feira declarou que o seu número de clientes ativos aumentou 19%, o valor médio das encomendas subiu 3%, a frequência média de encomendas cresceu 8% e a sua taxa de conversão aumentou 20 pontos base. O número total de encomendas realizadas atingiu os 20,2 milhões, um aumento de 30% face ao ano anterior, sem sacrificar as suas margens para aumentar as vendas: a margem bruta aumentou 80 pontos base.
 
A Asos não atualizou os seus objetivos anuais, apesar do aumento das vendas e das margens, o que não é inesperado, já que a empresa espera que as suas despesas de capital para o total do seu exercício se situem no topo do intervalo previamente indicado – entre 200 milhões e 220 milhões de libas (entre 229 e 252 milhões de euros).
 
O CEO Nick Beighton apelidou a performance da Asos no Reino Unido de “excecional” e disse que a “implementação de programas de tecnologia continuou a acelerar, com um número recorde de lançamentos”. 

Traduzido por Estela Ataíde

Copyright © 2018 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

Moda - Pronto-a-vestirModa - AcessóriosModa - CalçadosEsporteDenimLingerieModa - DiversosDistribuiçãoNegócios