Amancio Ortega deixa a administração de 53 subsidiárias da Inditex

Amancio Ortega, proprietário da Inditex, deixou a administração de 53 subsidiárias do Grupo Inditex, de acordo com os registros do Boletim do Registro Mercantil de A Coruña.



O fundador e o maior acionista do gigante têxtil, com participação de 59,29%, equivalente a um pacote de 1.848 bilhões de ações, deixou a administração de 53 subsidiárias do grupo, que detém as marcas, Berskha, Lefties, Oysho, Pull & Bear, Stradivarius, Projeto Tempe, Zara Home Logistics, Zara Design, Massimo Dutti.

Segundo fontes próximas ao assunto, em entrevista à Europa Press, trata-se de uma medida puramente administrativa, sem impacto nas empresas do grupo, já que Ortega cedeu as funções executivas da empresa para Pablo Isla em 2011.

O fundador da Inditex continua sendo o detentor da maior fortuna da Espanha, e dono de uma das maiores do mundo, com um capital avaliado em 70 bilhões de euros, que equivale ao dos 51 milionários seguintes, segundo a Forbes espanhola.

Somando o valor arrecadado em novembro passado, Amancio Ortega conquistou 1.256 bilhões de euros em dividendos da firma têxtil, em 2017.

A informação sobre sua saída da administração das subsidiarias foi confirmada após a Inditex divulgar ao mercado que obteve um lucro líquido de 2.341 bilhões de euros nos primeiros nove meses do seu ano fiscal (de 1 de fevereiro a 31 de outubro), o que representa um aumento de 6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A empresa atingiu vendas de 17.963 bilhões de euros, 10% a mais que o mesmo período do ano anterior, que teve aumento de 11%.  O resultado operacional bruto (Ebitda) alcançou 3.819 bilhões de euros, 6% a mais que um ano antes.

O crescimento das vendas em lojas físicas e online a taxas de câmbio constantes no período entre 1 de novembro e 11 de dezembro deste ano foi de 13%.

Traduzido por Novello Dariella

Copyright © 2018 Europa Press. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos aqui apresentados sem o prévio e expresso consentimento.

ModaNegócios