Adolfo Domínguez mantém perdas de 12 € milhões em seu primeiro semestre

Adolfo Domínguez encerrou seu primeiro semestre fiscal (finalizado em agosto passado) com perdas de 12,47 milhões de euros (44,82 milhões de reais), um número muito similar àquele registrado um ano antes (12,36), quando foi anotado um resultado extraordinário de 1,2 milhão de euros pela venda de um espaço em Madrid.

Campanha de Adolfo Domínguez outono-inverno 2016-17 - Adolfo Domínguez

A companhia de moda, que também se encontra no Brasil, atribui a melhora das suas contas a menores gastos financeiros graças à diminuição da dívida e a menores amortizações.
 
As vendas totais somaram 51,12 milhões (183,75 milhões de reais), ou seja, 0,5% menos, ao passo que as vendas em perímetro comparável (em lojas abertas há menos de um ano) reportaram 9,8%, segundo as contas enviadas pela companhia à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNVM).
 
O resultado bruto operacional (Ebitda) mostrou um saldo negativo de 9,8 milhões de euros, superior em 22,8% sobre um ano antes. Não obstante, o segundo trimestre melhorou em 0,8 milhão pelo crescimento das vendas e pelo corte de despesas operativas.
 
A companhia encerrou agosto com uma posição financeira líquida de 7,2 milhões, face aos -9,2 milhões com os quais finalizou o primeiro semestre do exercício passado. A grande mudança foi conseguida graças à amortização da dívida depois da venda de um imóvel em Paseo de Gracia (Barcelona) por 45 milhões de euros.
 
Adolfo Domínguez finalizou o semestre com 558 estabelecimentos, 39 menos, depois de encerrar 24 na Europa, 1 no Japão e 15 no restante do mundo e de abrir um no México. Esses fechamentos custaram 3,1 milhões para as vendas totais do grupo.

Traduzido por Anderson Alexandre Da Silva

© EFE 2018. Está expressamente proibida a redistribuição e a retransmissão do todo ou parte dos conteúdos dos serviços Efe, sem prévio e expresso consentimento da Agência EFE S.A.

Moda - Pronto-a-vestirNegócios