Salão português Modtissimo está ainda mais internacional

A 37.ª edição do Modtissimo foi a mais internacional de todas. Além de um aumento no número de visitantes nacionais, também o número de compradores estrangeiros evoluiu quase 7%, uma subida sentida nos corredores, mas sobretudos nos stands dos expositores portugueses.

Modtissimo
Corredores movimentados no Modtissimo. Foto: divulgação


Nos dias 23 e 24 de Fevereiro, o único salão português de tecidos e acessórios europeus e confecção portuguesa, recebeu na Alfândega do Porto 4.150 visitantes nacionais (mais 1,47%) e 270 compradores estrangeiros (mais 6,72%), provenientes dos mais diversos países, que contribuíram para tornar esta a edição mais internacional de todas.

«Foi uma edição excelente», indicou António Cunha, sales area manager da Orfama, uma presença habitual nesta feira. A empresa têxtil sediada em Braga, especialista em vestuário em malha fully-fashion e de algodão orgânico, que emprega 400 pessoas e que, em 2010, registrou um volume de negócios de 13 milhões de euros, sentiu muito interesse por parte dos compradores internacionais. «Tivemos clientes de vários países – Rússia, Japão, Itália, Espanha, Holanda – e alguns portugueses, que mostraram muito interesse no produto que apresentámos», revelou António Cunha.

Apesar de ser a primeira vez que esteve presente no Modtissimo, a No Mosquito, a marca da empresa NGWear, mostrou-se satisfeita com os resultados. «Não temos ponto de comparação mas correu bem, com bastantes contatos institucionais e com clientes, sobretudo internacionais. Para o que se pretendia, os objetivos foram conseguidos. Recebemos visitas de compradores da Holanda, França e Reino Unido», declarou Manuel Pinheiro, administrador do grupo Tinamar, ao qual pertence a NGWear.

As t-shirts inovadoras, com um tratamento que repele os mosquitos, protegem das picadas sem necessidade de usar o tradicional repelente e mantêm a sua eficácia mesmo após 20 lavagens. «Este é um projecto que não conhece fronteiras e neste momento estamos a vender para Portugal, França e Espanha», anunciou Manuel Pinheiro.

A No Mosquito expôs no Fórum Têxteis do Futuro, onde estiveram representadas 23 das empresas mais inovadoras a atuar em Portugal. Para além das novidades em têxteis técnicos e não-tecidos, o espaço foi ainda palco da apresentação do livro “Vestindo o Futuro – Microtendências para a Indústria Têxtil, Vestuário e Moda até 2020”, onde estiveram presentes os quatro co-autores da obra – Daniel Agis, Daniel Bessa, João Gouveia e Paulo Vaz – e do workshop “Têndencias Globais LifeStyle e o seu impacto nos Smart Textiles” com a consultora internacional Isa Hofmann, que indicou a necessidade de um período de reflexão devido às mudanças atuais. «Os valores da sociedade estão a mudar», afirmou, acrescentando que «há um campo muito abrangente para a inclusão de tecnologia», incluindo áreas como a saúde, militar, habitação, arquitectura e ambiente.

No Fórum Têxteis do Futuro esteve ainda em exposição o projecto Polytec, constituído por uma parede com uma camada têxtil sensorial para a monitorização de esforços em caso de sismos e reforço da estrutura.

Também no Mundo da Criança, onde estiveram presentes 20 empresas dedicadas ao universo infantil, as perspectivas de negócio foram animadoras. «Já é recorrente estarmos no Modtissimo, que funciona como uma mostra para gerar mais notoriedade à nossa marca», explicou a comercial da marca Patachou, Maria Augusta.

E na área dos Tecidos e Acessórios, sem dúvida a mais concorrida, com 67 expositores, a 37.ª edição do Modtissimo foi igualmente um sucesso. «Estabelecemos contatos interessantes, sobretudo estrangeiros. O espaço continua a ser fantástico e acho que a feira está bem, com uma boa dinâmica», indicou Fernanda Valente, administradora da empresa especialista em malhas para lingerie e sportswear Fernando Valente SA.

Sob o mote “Get Smart”, o Modtissimo, que no total acolheu cerca de 300 expositores, contou ainda com o desfile das empresas e jovens talentos do Concurso Jovens Criadores e com o desfile “Fashion 5”, promovido pelas quatro instituições de ensino superior que ministram design de moda – Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, Universidade do Minho, Universidade da Beira Interior e Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco. Um desfile especial que, para além de mostrar o trabalho de cinco alunos de cada instituição, serviu como processo de seleção para uma exposição que irá decorrer no Mude – Museu de Design e Moda, em Lisboa.

Entre as diversas atividades, destacou-se ainda o workshop EuroClusTex “Projetar a Cooperação Empresarial no quadro da euro-região Norte de Portugal-Galiza, 2011-2013”, a apresentação do setor têxtil tunisino, pelo organismo tunisino de promoção das exportações Cepex, e ainda o seminário de business coaching “Os 4 Desafios do Empresário”, com Alfredo Allen Valente.

A Associação Selectiva Moda é uma organização constituída pela ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal e a ANIL – Associação Nacional dos Industriais de Lanifícios com a missão de promover a indústria têxtil e de vestuário nacionais. Para além da Modtissimo, desenvolve igualmente esforços de internacionalização da fileira.

Copyright © 2017 FashionNetwork.com. Todos os direitos reservados.

TêxtilSalões de Moda